"Eu gosto de outra pessoa"

Errado

Acordei um dia e vi que tudo estava errado.
Eu tinha um bom emprego, a minha namorada gostava de mim e minha família, com exceção de meu pai, me dava todo o apoio.

O que isso tem de errado? Tudo!

O emprego que me dá muito dinheiro é o mesmo que não me deixa satisfeito, com as injustiças e cafajestagens que ocorrem nos bastidores. Minha namorada é tão incrível comigo quanto eu sou falso com ela ao pensar em outra (que mesmo gostando de mim parou até de me ver para ficar com um alguém) cada vez que a beijo.

Então esqueça tudo isso e sei lá... FUJA!

Larguei tudo. Pedi demissão, deixei alguém que dizia estar apaixonada por mim e fui pra casa. Desmoronei toda a minha vida em uma semana e não sei mais o que vou fazer durante o resto dela.

Deus essa é a hora!

Tenho um dinheiro guardado (que seria usado para comprar uma casa futuramente) e estou pensando em mochilar. Tipo aqueles hippies em busca de paz interior sabe?

Que ridículo. Quantos anos você tem?

Percebi-me não sendo merecedor de um mínimo de apreço daquela que tem todo o meu. Acho que estrago nossa relação a cada dia mais do mesmo jeito que foi feito por ela no inicio.
Não consigo mais.
Todos os meus pensamentos me levam a só uma solução. No momento em que me sentei em frente a minha namorada e disse que o problema era muito mais meu.

Por favor alguém me salve!

Indiferença

Percebia-se um grande viajante.
Gostava da sensação de percorrer seus pensamentos e passar tanto tempo entre eles que acabaram se tornando iguais.
Um tempo sozinho podia definir mais extremidades na personalidade que qualquer discussão acirrada.
Era um navegante do pensamento e por aquele lugar podia percorrer maior distancia que qualquer desbravador, porém quanta diferença isso faz?
No auge da linearidade entre a imaginação e a vida real não sabia mais para que lado sua vida penderia.
Tinha vontade de gritar. A plenos pulmões dizer, mas não iria escutar. Nem se o pior acontecesse iria prestar atenção por que era indiferente a ele.
Indiferença.
Incompreensível: como a completa indiferença saiu daquele relacionamento de um lado. Sem explicações, razões, desculpas... Só indiferença e ele ali.
Nada mais a dizer. Só o sentimento que ainda carregava no peito e as formas que tinha para enganar-se e a quem o acompanhava nos momentos seguintes.
Quanta diferença isso faz?
Para quem mais importava nenhuma.

Estive em metade dos lugares em que sempre quis estar

Bem eu acho que já andei por lugares demais
Por todo estado passei e talvez tenha visto mais do que sou capaz
Essa canção não é para as estradas do oeste
As mesmas que cruzei sem me preocupar com o que viesse

O que eu quero dizer é
Estive em metade dos lugares em que sempre quis estar
Por mais que cada curva me traga algo novo
Trocaria tudo pela esperança de ouvir sua voz e ver seu rosto

Eu vi um castelo grafitado
E cidadãos desesperados
Se nada é para sempre
Por que meu sentimento não deixa de ser

Se esse lugar esta tão cheio
Não deveria me parecer tão vazio
Se minha cabeça vive em todos esses rodeios
Deveria mostrar sempre o mesmo sonho?

Eu preferiria estar ao seu lado
E sentir aquele antigo cheiro familiar
De algo em que acreditei
E que preferiu esquecer

Não vou tirar fotos...
Falta um rosto ao meu lado
Só tenho uma última pergunta então:
Você sente o mesmo que eu ou é só o meu coração?

Pela colina

Estão vindo pela colina.
De trás das grades podemos vê-los com sua postura desajeitada e seus passos largos caminhando até nosso cativeiro.
Temíamos, tremíamos e queríamos acima de tudo que dessem meia volta, porém sabíamos que não ia acontecer.
Era fato consumado que ao andarem pela colina, sem sacos nas mãos, significava um de nós a menos no cativeiro.
Os mais desesperados se exaltavam, pulavam e faziam loucuras com a proximidade dos que só vinham para destruir. Eu preferia a inércia absoluta bem perto da grade para encarar nossos algozes.
Certa vez ouvi falar que um dos nossos apelidado de D’angola conseguiu fugir devido a uma habilidade especial que tinha... O resto é perdido e se confunde conforme o companheiro de cela que conta a história.
Tudo é meio disforme e os dias passam tão lentamente que uma noite poderia ser confundida com um mês fácilmente aqui.
O caminhar dos que vinham pela colina parecia levar horas...
O facão na mão de um deles brilhava enquanto o sol que batia em sua lâmina produzia uma luz meio tênue que era refletida diretamente em nós.
Os outros pareciam menos decididos. Os olhares eram perdidos, quase lânguidos, de certa forma isso transmitia mais desespero ainda.
Sabíamos o que esperar do portador do facão mais não de seus companheiros indecifráveis...
Era mais um final de tarde que nunca significaria nada para qualquer pessoa em todo mundo, mas naquele galinheiro...

video

City and Colour - Grand Optimist

Costumes

A vida é mesmo estranha... Nada mais é para sempre.
Hoje percebi que sou diferente. Impar e na verdade muito mais do que eu esperava, pois conheço pessoas que não existem mais.
Pessoas por quem você se apaixona um dia, tem momentos muito especiais e são capazes de mudar em poucas semanas, sem nenhum motivo aparente, transformando-se exatamente naquilo que vocês dois mais criticavam juntos.
As pessoas se acostumam com a vida que tem e não tem forças pra mudar o que vivem.
Acostumamos-nos e isso traz felicidade, mas qual o preço disso?
Perder e parar de ver quem mais gosta de nós, dizer palavras duras e agressivas que machucam e com isso conseguir que uma pessoa que nos amava passe a tentar esquecer.
Onde foi parar a pessoa divertida, apaixonante e cheia de vontade que conheci meses atrás?
Desapareceu.
Sumiu da mesma maneira rápida, forte, intrigante e inevitável que entrou em minha vida.
Não vou negar que cada vez que a vir sentirei meu coração bater mais rápido, pensarei na pessoa que conheci, em tudo o que vivemos e na, pelo menos, grande amizade que poderíamos ter juntos.
Nada mais existe por que escolheu não me ter mais por perto.
Minhas lembranças de suas palavras, nas últimas ligações, não são da pessoa doce por quem me apaixonei e sim de uma critica, que despreza meu modo de viver e é incapaz de separar uma hora da sua vida para me ver mais uma vez.
Por que as pessoas mudam e por que acho essas mudanças tão negativas enquanto elas parecem felizes...
Peço perdão, pois se isso se chama felicidade continuarei o mesmo para sempre.
Não tenho vergonha de priorizar quem gosta de mim e principalmente, acima de qualquer coisa, mesmo com minha vida totalmente lotada de afazeres tenho tempo para todos que amo.
Um brinde a quem não quer mudar como eu e sabe que a única coisa que importa na vida é o seu relacionamento com quem gosta de você.
Nunca se acostume! Só se conforme com que faz você e quem te ama feliz.

Presença

Definitivamente não sei se aquela foi a música mais apropriada.
Nos conhecemos entre cervejas, músicas e a velocidade de uma madrugada que insistia em continuar a cada giro que o meu punho proferia arrancando roncos de minha motocicleta.
Ela apertava minha cintura forte quando chegamos no show, que tanto tinha lhe falado, poucas horas antes num bar.
Brindávamos numa mesa diante dos dois copos da cerveja mais cara que já comprei quando ela pediu para falar sobre a garota que eu tinha comentado.

-Por que você quer falar sobre isso?
-Por que temos pelo menos mais uma hora antes do show começar...
-Mas é uma longa história
-Eu estou com tempo... E você?

Estava cansado de falar do meu amor... Ah o meu estúpido amor.
"Tenho que acertar tudo com a minha banda e já volto" foi à desculpa que dei para ela.
Depois de muito tempo fazia uma participação num show com velhos amigos e isso parecia me deixar muito feliz.

-Voltei
-E então quantas músicas você vai tocar?
-Duas
-Quais?
-Um cover do Pearl Jam e outra minha que eles quiseram tocar
-Sua música fala sobre o que?
-Era pra garota que você tanto quer saber...

Comentei rapidamente sobre os últimos acontecimentos e ela assentia com a cabeça diante de cada fato detalhado por mim. Assim que acabei colocou o braço em volta do meu pescoço e me deu um beijo.

-Gostou?
-O que foi isso?
-Esse não é o primeiro beijo que te dou... Por que a pergunta?
-É... É... É que acabei de falar que estava apaixonado por outra garota e irei cantar a música que fiz pra ela e...
-Eu entendi. Consigo te entender apesar de confessar não gostar disso. Te beijei pra calar a boca... Você fala demais sabia?
-Já me disseram isso...
-É!

Trinta minutos depois eu era chamado ao palco e empunhando a minha guitarra comecei o riff de alive do Pearl Jam.
Era incrível estar tocando de novo e de cima do palco vi a face definitivamente expressiva de minha acompanhante.
Meu amigo vocalista anunciou a próxima canção como “a música de autoria do nosso grande amigo e convidado chamada Presença”.
Já nos primeiros acordes percebi pequenos beijos dos casais do bar que abraçavam seus respectivos acompanhantes.
Logo veio o refrão:

“pode chover quem sabe até relampejar
Mas você nada tem a temer, pois sempre estarei com você
Guerras pra depois... Batalhas já não me interessam
Por que só sua presença me deixa em paz”

Desci peguei mais uma cerveja e sentei ao lado de minha acompanhante. Ficamos três minutos nos olhando sem falar nada até que ela quebrou o silêncio com os olhos mais intrigantes que já vi na vida.

-Não sei o que pensar sobre isso... Não sei...

Estou pensando em parar de escrever aqui.
Tudo o que escrevo me parece tão triste... E já até me disseram isso.
Acho que não tenho mais por que nem pra que escrever a não ser para me lamentar pelo que não fui capaz de manter e ter.
Ando pior do que nunca e não ficarei expondo minhas fraquezas a cada vez que isso acontece... E isso ainda vai acontecer muito nos próximos tempos.
Estou decepcionado com tudo depois de algumas coisas que me aconteceram.
Não sei se vou parar mesmo, mas estou pensando seriamente.
Bom, então se eu não voltar mais:
Obrigado por ter passado aqui e me desculpe se eu não voltar mesmo... Um grande abraço do matuto.

How many times do you wanna die!

video

The Beatles - Something

Be happy

Entrei pela portaria e fui caminhando até minha sala.
Nunca fui bom em seguir aquele ditado de que se a tristeza tomou conta do seu coração não deixe que ela faça o mesmo com teu semblante.
Andava vendo o quanto tudo ali era uma grande fantasia.

Na verdade uma mentira

Cidades de mentira, gente que fingia ser quem não era, pessoas falsas e eu que estava sempre nas mesmas festas que elas e sorria cada vez que uma passava por mim.
O trabalho que me proporciona uma quantidade de dinheiro que eu não imaginaria ter alguns meses atrás é o mesmo que não me proporciona a felicidade que eu também imaginava estar sentindo.

O quanto você pode suportar?

Gosto de bebida, mulher, festas e principalmente gosto de ter como fazer isso sempre que eu quiser, mas por que isso não me satisfaz...
Continuo sentindo falta do que hoje me trouxe, acima de tudo, a certeza de que não tenho valor maior do que qualquer coisa em uma vida...
Algo mudou dentro de mim e confesso que não foi para melhor. Transformei algo completamente positivo em frustração.

Pura e simples frustração

Escondo tudo o que sinto confundindo todos com aquele nível de sociabilidade que só eu sei proporcionar.
Obrigo-me a tal fardo que não é fácil de carregar por que simplesmente não pretendo decepcionar quem esta ao meu redor... Não largo tudo, pois sei que não vou prejudicar só a mim.
Se eu soubesse no que ia dar não tinha alcançado um nível financeiro de importância tão grande para às pessoas que estão comigo.
Sofro de um grande mal que é me importar demais com todos.
Acho que sinto mais que todo o mundo.

Provavelmente gostaria mais de você que esta lendo esse texto do que você de mim...

Não sou três pontos, sou exclamação e aparentemente nunca ganhei muito mais que decepções com isso.
Tenho que parar de me importar tanto com o que sinto e mais com o que penso.
Não conheço muitas pessoas que se deram bem seguindo seus corações e a prova disso é que sempre que sigo meus conceitos e o que realmente penso não erro.

Você esta feliz?

Que bom que esta tudo bem, que bom que sua vida esta ótima, acho incrível que você esteja correndo atrás do que quer e tendo um emprego que lhe da condições suficiente para começar sua família... Sendo feliz e enfim... Vivendo.
Eu que estou exatamente onde deveria estar, fazendo exatamente o que eu queria fazer sinto falta de você, mas isso não tem importância alguma pra você...
Nunca teve...
E o pior de tudo é perceber que tudo o que senti chegou a um nível de frustração que agora, e depois de tudo, me importo com isso tanto quanto você.
A ponto de não estar presente no dia mais especial de quem você achava que te achava... Enfim...
É só mais um dia...
Só mais um dia...
video


Ultraleve - Rodoviária

Homem de Chapéu Preto

O homem do chapéu preto andava pela rua despretensiosamente.
Tinha o adorno na cabeça como objeto pelo qual as pessoas o identificavam e logo atraia olhares ávidos por sua maleta onde levava alguns livros para vender.
Trazia numa mão o recipiente com os livros e na outra um pequeno catalogo com os Best Sellers da semana a serem vendidos.
Gostava de conversar e discutir sobre os personagens do último livro vendido com cada cliente ganhando sempre sorrisos e olhares simpáticos e convidativos apesar da aparência estranha.
O homem de chapéu preto era alto, magro e de certa forma parecia mais um poste com pernas e um chapéu do que um homem.
Nem precisou bater a porta da primeira cliente, pois ela já o esperava ávida por uma boa prosa com o homem de chapéu preto.

-Olá
-Olá... Aguardava o senhor.
-Que bom. Gostou do último livro?
-Não sei dizer...
-Como assim?

A moça dizia-se cansada de contos de fadas com seus finais felizes e seus bons moços.

-Pode parecer estranho, mas canso dos bonzinhos
-Isso é normal minha cara
-Mas e o príncipe no cavalo branco? As mulheres não deveriam querer isso?


O homem do chapéu preto explicou-lhe que o ser humano deseja o melhor, o mais atencioso, aquele que faz tudo por você, porém de que lhe serve, com o tempo, alguém tão esforçado?
A emoção de perder a qualquer momento e a pouca mais intensa presença é mais atraente... Concordou a mulher.
Exato replicou o homem do chapéu preto.

-Será que gostarei mais desse?
-Sem duvida que sim. Me conte semana que vem.
-Ok


Os dois se abraçaram e a moça quase derruba o chapéu do homem que o segura com a destreza de quem utiliza o objeto a muito tempo.

-Desculpe quase derrubei seu chapéu
-Tudo bem. Até semana que vem.
-Até.


Andou até a calçada e olhou as casas que ainda iria visitar na rua. Todas tinham algum morador que o espreitava a espera de sua visita.
A fantasia parecia tão próxima dos clientes do homem de chapéu preto que as vezes isso o assustava.
Lembrou-se das palavras da moça da última casa: “A emoção de perder a qualquer momento e a pouca mais intensa presença é mais atraente...”
Quantos mais prefeririam a inconstância da dúvida à certeza do carinho?
Até onde o homem de chapéu preto sabia a maioria.
Que droga... Ele até era um desses...

Eu serei a hiena

Hoje a hiena riu de mim.
Lá estava ela com o pescoço levantado e seus dentes amarelos debochando da minha dor com sua cabeça balançante.
Pedi para que parasse, mas o vento continuava fazendo com que seu movimento frenético de ir e vir e seu sorriso (aquele maldito sorriso na cara) me tirassem do serio.
Sabia que eu tinha acabado de desistir de algo muito importante e ria de mim com um sorriso de orelha a orelha.
Não deveria ter pensado tão alto para que não me ouvisse.
Na verdade eu não sussurrei em pensamento, eu não falei... Eu gritei e esse foi meu erro.
Levantei e joguei bem alto da forma mais aguda que consegui e disse que dali em diante não iria mais me machucar.
Doía tanto que mal conseguia rir junto com minha companheira agoniante.
É impressionante como você pode ser algo insignificante para uma pessoa perto de outra.
A vida mostra que temos prioridades e devemos defini-las de acordo com o que sentimos e queremos não importando o que os outros sentem.
Porque devemos priorizar a nossa felicidade.
A risada ecoa em minha cabeça e a vontade é de levantar para esmagar aquela cabeça até que minha raiva sem sentido passe.
Realmente não tinha obrigação de nada e fui pretensioso demais em achar que por algum motivo eu teria importância com a que lhe dei a ponto de que largasse tudo para ficar comigo por um dia... Não importa.
Se a vida é organizada por prioridades é bom saber para quem você se tornou uma mesmo no meio de uma gargalhada tão desprezivel.
Esta me envenenando com a tosca visão de seu corpo pintado e sua risada bizarra.
Maldita risada com seus dentes amarelos!
Odeio quando ele balança a cabeça rindo de mim como que dizendo: Agora você sabe que não é muita coisa... E a quanto tempo será que já não era.
Maldita cabeça... Maldita risada... Odeio essa hiena!

video

Zander - Sunglasses

Nem por um instante

No telefone...

-Sabe quanto tempo faz que a gente não se vê?
-Não
-Um mês e meio
-Nossa, é muito tempo
-É, e você continua sem fazer uma forcinha
-Eu não podia
-Nem um pouquinho nos últimos fins de semana?
-Não podia o ... estava aqui
-Nem dez minutos?
-Já disse que o ... estava aqui
-Ae não da, nem por dez minutos, por que isso é muito mais importante né?

-Entendi. Boa noite... rs
-Boa noite

Sem ver

No telefone...

-A gente podia sair pra...
-Não posso sair com você
-Não pode?
-Não é que eu não possa, mas não é certo
-Fica tranqüila... Só quero te ver. Estou morrendo de sau...
-Não posso
-Agora não posso nem mais ver você? Nossa...
-Não me entenda mal
-Não entendi mal. A gente só não pode mais se ver né?
-Você dizendo parece horrível...
-Boa noite... Eu... Boa noite...
-Boa noite

O grande

Da sacada do meu prédio só vejo o sol se pondo numa daquelas tardes bem comuns.
As luzes das casas e prédios menores pareciam tão bucólicas que me faziam pensar em tudo o que me disse.
Palavras de sentido simples, mas que eram difíceis de assimilar e aceitar.
Arrumava as coisas em mochilas e malas quando minha companheira me aborda.

-Oi
-Oi
-Não vi você entrando... O que esta fazendo?
-Arrumando as coisas.
-Por quê?
-Vou embora

Discutimos.
Realmente não esperava que fosse ser tão difícil assim, mas ela blasfemava e dizia não entender já que teríamos pelo menos mais três meses ainda de contrato com o apartamento...

-E agora como eu fico?!
-Não se preocupe. Deixei a minha parte, dos próximos dois meses, paga
-Isso é muito! Como você conseguiu ... reais para pagar isso tudo?!
-Tinha umas economias
-Me diga a verdade: Por que esta indo?!

Vivíamos juntos a pouquíssimo tempo e só nos encontrávamos a noite, porém, ao que parece, ela começou a me entender melhor do que eu esperava após algumas madrugadas insones e muita conversa.
Entendia-me de um jeito impressionante.

-É a garota né?
-Que tem?
-Por isso você não pode ficar...

-Quero que fique
-Já falei pra ficar tranqüila. Deixei minha parte paga. Não deixaria você na mão e...
-Acho que gosto de você!
-O que?!

Agora entendo por que ela permanecia acordada conversando comigo e vendo coisas engraçadas na internet até altas horas mesmo estando com uma cara de sono que confesso invejava muito.
Ela não deveria ter dito isso...

-É exatamente isso. Não vai!
-Desculpa, você sabe o quão idiota eu sou e o que sinto
-Você voltou com ela?
-Não. Segundo ela nós nunca nem estivemos juntos
-Então?!
-Não posso ficar com você imaginando que estou com ela...
-Ahhhhhh
-Desculpe...

Ela vai pro quarto e me deixa só acabando de arrumar minhas coisas.
Logo que acabo vou até a sua porta que esta, como eu esperava, trancada.

-Estou indo

Ela abre a porta

-Por que você gosta tanto dela?
-Queria poder explicar, mas não posso...
-Não entendo como você gosta tanto de alguém a ponto de dar tanto dinheiro para sair daqui simplesmente para não ter lembranças...
-Eu também não
-Você sabe que é provável que ela nunca mais fique com você né?
-Sei sim
-Então?!
-Então tchau. A gente se fala amanhã no trabalho.
-Tchau.

Coloquei tudo no taxi e pedi para o motorista partir quando ela gritou e foi até o carro.

-Obrigado por, apesar de tudo, ter deixado tudo certo para os próximos meses
-Nunca deixaria você na mão
-Então... É isso... Tchau
-Tchau

O taxista sai com o carro e depois de 5 minutos em completo silêncio fala:

-Problemas com a patroa?
-Na verdade não. É uma história meio longa
-Ela parece gostar de você. Acho que entendi...
-Acredite nem eu me entendo

Temporariamente lar

No apartamento...

-Você tem um problema serio com sono ein...
-Eu sei, mas é meio recente e agora nesse bairro...
-Que tem o bairro?
-Nada, esquece. Não quero falar disso, mas faz umas semanas que estou assim...
-Então você simplesmente não dorme
-Isso ou pouquíssimo...
-E o que você fazia pra passar o tempo antes de vir pra cá
-Quer dar uma volta de moto
-São três horas...
-É, eu sei... Você tem que trabalaher amanhã... Pode ir dormir então...
-E você?
-Vou demorar ainda...

A mesma música

Não conseguia dormir.
O pior é que nem sequer sentia-se mal com o fato de não pregar os olhos há mais de duas semanas.
As excentricidades cometidas todo dia no trabalho provavelmente vinham ajudando no processo.
As festas de arromba com artistas e grandes estrelas contrastavam com a já costumeira saída no meio da madrugada, com seu copo de cerveja na mão, para beber olhando o mar.
Os pensamentos voavam tão longe quanto a distancia entre a vida que levava meses atrás e a que estava tendo naquele exato momento.
Numa noite entre estrelas da TV, cinema e músicos renomados o que poderia estar errado?
Simplesmente tudo.
Era a vida que ele sempre quis sem a pessoa que ele sempre quis.
Agora podia entender como dinheiro, festas, pessoas famosas e os melhores ambientes de uma cidade podiam ser ruins.
Qualquer lugar podia ser o pior lugar do mundo não importa onde ele estivesse...
Tomou mais um gole da cerveja, atravessou o calçadão, internacionalmente conhecido, e voltou para a festa quando um famoso ator lhe chamou e disse algo incompreensível devido ao seu alto nível etílico.
O mundo gira muito rápido e ele o que faria agora então com tudo o que ainda sentia...

Vontade de sumir!

video

Goo goo dolls - cuz you're gone

Desacelerando

Desacelerei e parei naquele lugar que agora parece tão diferente.
As lojas continuam iguais, o céu continua igual e até os ônibus... Então por que me parece tão estranho?
Minha motocicleta recém comprada anunciava um prenuncio de assalto do outro lado da rua quando três rapazes meio largados passaram e não liguei.
Sentei-me na beirada do ponto de ônibus mexendo bem devagar na chave em minhas mãos quando o celular tocou.

-Onde você esta?
-Já estou indo
-Falta muito?
-Já estou indo
-Ihh ta
-Tá bom então...
-Só estou te esperando pra entrar
-Ok

A rua principal da cidade estava quase deserta àquela hora a não ser pela luz de uma famosa rede de lanches que mantinha suas portas abertas durante toda a madrugada e logo receberia retirantes da noite em busca de comida rápida.
Passa um ônibus e uma menina bonita, que estava sentada no último banco, me olha fixamente nos olhos e correspondo... Ela da uma piscada antes do ônibus continuar e se ajeita no assento.
Começo a rodar a corda da chave ao redor do meu dedo e atravesso a rua colocando o capacete e subindo na motocicleta ligando-a.
Com a rua vazia acelero bem devagar e vou aumentando o ritmo até chegar a serie de sinais que havia depois de um morro obrigatório para qualquer um que fosse sair da cidade.
Acomodo-me na descida, como a garota da piscada do ônibus, e decido passar pelos dois sinais seguintes sem parar de acelerar.
Passo por ambos sem problemas.
Na verdade se não fosse a adrenalina de correr o risco meu corpo nem saberia o que fiz, pois não havia nenhuma outra maquina na rua a não ser a minha.
Dentro do meu capacete as faixas brancas se sucediam na estrada à medida que os meus pensamentos voavam numa velocidade tão rápida quanto.
Sempre gostei de motos por que elas me ajudam de alguma forma.
A famosa avenida que quase cortava o estado agora mostrava sua linearidade a frente e eu fui movendo meu punho até atingir a rotação máxima.
Fechava meus olhos de quando em quando e tentava levar meus pensamentos a uma pessoa, mas não conseguia pelo fato de eu não conseguir negar a verdade e recorri ao passado recente que me parecia muito mais confortador.
Ela jogava seus braços sobre meus ombros enquanto me beijava sentada num apoio de madeira.
A música agitada contrastava com tudo o que existia naquele pequeno espaço de alguns centímetros...
Seu cheiro era tão bom que eu ainda podia senti-lo, mesmo com todo vento em minha face, sua pele me parecia tão macia que a sensação de tocá-la simplesmente era confortadora e olhá-la naquele sonho veloz, enevoado e distorcido era tão real que quase podia senti-la...
Então tudo parecia bem, então não estávamos mais distantes, então parecia que algo tinha mudado e de repente eu simplesmente desejei que a famosa avenida fosse infinitamente reta.
Se assim fosse eu nunca mais ia precisar frear e passaria minha vida acelerando com os seus braços sobre meus ombros e com o seu rosto em frente ao meu fazendo com que tudo, de repente, ficasse bem não importa como o resto estivesse...
Então eu abri os olhos e voltei.
Como num choque eu voltei e a realidade era tão dura quanto foi difícil ter de frear para fazer a curva e mais ainda quando cheguei ao meu destino e não era ela que me esperava.

“A thousand words that no one's spoken
Now there's nothing left to say
A thousand words just like you
A thousand words just like you
A thousand words just like you”


Goo goo dolls – Cuz you’re gone

Estou me avisando

Definitivamente não sou uma pessoal das mais entendíveis...
Desde que comecei a tentar entender o meu comportamento percebi que crio provas para dizer a mim mesmo que sou melhor do que eu tenho quase certeza que não sou.
Imponho-me provações com o objetivo de alcançar a superação que perco em uma madrugada.
Não tenho muitos problemas profissionais, assim sendo tudo o que me faz realmente pensar é a minha vida pessoal que confesso ser bem atribulada.
Não quero falar disso aqui por que já me exponho mais do que deveria nesse blog.
O que quero dizer é que as maiores besteiras da minha vida foram feitas em momentos pontuais por um único motivo: rejeição.
Sou grato por nunca ter tomado uma boa lição da nossa sociedade e é incrível pensar como odeio ter que provar para mim mesmo certas coisas magoando outras pessoas para simplesmente manter o meu ego num nível aceitável para mim mesmo.
Já fui xingado e acredito ter perdido ótimas pessoas, e me livrado de umas boas também, só pelo fato de talvez também querer rejeitar.
É horrível pensar nisso...
É horrível pensar que existem pessoas como eu que descontam sua frustração em outras e agora escrevem isso num blog que ninguém lê na internet.
Estou em um dos melhores momentos, profissionalmente falando, da minha vida e isso se contradiz de uma forma forte com o momento em minha vida pessoal.
Isso influência de um jeito atordoador meus trabalhos para uma forma negativa e também positiva.
Tenho feito as maiores besteiras nesses últimos tempos, mas que graças a Deus são compensadas por boas ideias que mantém o equilíbrio e fazem com que eu não seja um total Zé ninguém.
Acredito que isso não irá durar muito tempo então se eu me estrepar daqui a algum tempo quero ler isso aqui e lembrar que eu mesmo me avisei disso um dia.

Madrugadas

Hoje pensei que algo fosse mudar.
Não sei explicar o que quero dizer e muito menos como posso dizer, mas esperei que algo fosse mudar.
Não tenho um motivo especial e na verdade tudo aponta para o lado contrário.
Eu simplesmente esperei que talvez algo fosse mudar.
Olhei para o telefone jogado sobre minha mesa no trabalho e desejei, com todas as minhas forças, que um nome aparecesse numa ligação.
Não deu certo.
Minha distração latejava em meus afazeres e parecia querer me denunciar a qualquer custo para quem quisesse ver.
Um vestido pérola só me faz ter mais certeza de que tem algo de muito errado comigo... Acho que não sou mais o mesmo.
Não ligo para quem esta do meu lado e termino minhas noites criando teorias sobre alguém que esta em outro lugar com outra pessoa.
Mulheres não gostam quando você diz que gosta de outra garota por mais que ela queira ficar com você.
Qual a diversão em falar de alguém que não escolheu você?
Para mim parece vital, pois insisto em dizer isso toda madrugada a infortunada que cai na lábia dessa grande pessoa falsa que venho sendo.
Acho que faço isso só para provar para mim mesmo que ainda posso ter alguém mesmo que eu não queira e consiga estar estragando tudo antes mesmo de qualquer ato.
No momento sou falso comigo e com quem esta em minha companhia, pois sei que por mais que eu tente, force e procure não existem duas pessoas iguais no mundo.
Talvez eu devesse esquecer, mas eu não consigo, eu não posso e eu não quero.
A garota de vestido pérola me disse que fiquei estranho e perguntou certa vez por que eu não a beijei.

-Por que eu gosto de outra garota
-Eu não ligo. Hoje não...
-Eu ligo
-Por que você saiu comigo hoje então?
-Por que sou um idiota
-Disso eu tenho certeza

Eu não me importei.
Simplesmente não me importei com a situação por que se tornou normal, por que eu me tornei falso... Até para mim mesmo.

Forçando a barra

Voltando de noite...

-Você ficou estranho agora a pouco...
-Não, normal...
-Definitivamente você não estava normal, quis ir embora do nada...
-Esquece. Já disse que você esta bonita hoje?
-Mudou de assunto, mas tudo bem. Percebi que você gostou...
-Ainda mais branco...
-Não é branco. É pérola...

Pensando

-aff

video

The Sub - When you say

Instâncias

Meu país foi separado.
Cada instância tinha uma única prerrogativa para existir: seus residentes terem os mesmos gostos.
Decretada a nova ordem as pessoas corriam, como baratas tontas, aglomerando-se onde achavam que poderiam encontrar seus iguais. Pares que tivessem mais do que ser um ser humano em comum.
Nas estradas lotadas a instancia do engarrafamento foi inevitável, perto da lotérica os que aspiravam ao prêmio da Megasena formaram o grupo dos sonhadores enquanto nas praias surfistas se amontoavam.
Numa passeata por dentaduras o grupo dos felizes encontrou com o dos tristes, que protestavam contra a grande quantidade de emos que vinha chegando a instancia, e houve uma grande briga fazendo com que todos fossem para a instância da violência.
Lá uma grande guerra acontecia pela independência de certas partes de instâncias como a dos traficantes, assaltantes e terroristas... O lema era “A violência tem varias caras. Não queremos só uma!”.
No sul um massacre aconteceu quando a instância dos pagodeiros lutou contra a dos roqueiros, já que ambos tinham como armas apenas guitarras contra cavaquinhos.
Não sobrou pagode sobre pagode.
Apesar da divisão das instâncias o futuro de cada uma era muito óbvio: a divisão.
Cada vez mais constantes as divisões, motivadas por rivalidades internas, eclodiam em cada instância.
Mesmo sendo mais iguais que opostas às pequenas diferenças iam se acentuando de tal forma que os pedidos de independência de algumas minorias aconteciam sucessivamente.
As separações acabaram se tornando tão constantes que logo nasceram as instâncias de uma pessoa só.
Por que ninguém era tão igual a ponto de ser exatamente igual.
Ninguém era tão igual a ponto de não ter diferenças que com o tempo se tornassem mais evidentes.
Ninguém era mais igual.
Talvez ninguém nunca tivesse sido igual.
Talvez um dia eles acabassem se tornando ninguém se não se unissem como um todo.
Se não se tornassem um país que entendesse as diferenças ao invés de se separar por minorias.

Duas cordas

Em casa...

-Mãe onde esta?
-Não sei onde a empregada colocou
-Assim não da, todo dia ela muda de lugar
-Toca aquele outro ali
-Mãe aquilo é um baixo, eu quero minha guitarra
-É a mesma coisa filho só tem duas cordas a menos!
-¬¬

Degraus

E mais uma vez estava entregue nas mesmas escadas que no ano anterior o abrigaram em noites tão deprimentes quanto aquela.
Não era comum ver o lugar tão cheio, porém também não era ver ele muito vazio.
A espécie de azulejo parecia meio psicodélica naquela altura da madrugada e principalmente no nível de entorpecência que o atingia.
Os amigos mudaram um pouco desde a última vez que tinha aparecido ali, mas os estereótipos continuavam iguais: Rastafáris, mendigos, favelados e principalmente malucos. O último não tendo nenhuma característica destacável, pois eram diferentes em todos os sentidos, da aparência ao salário que recebiam, ou não, no final do mês.
O único motivo que unia aquelas pessoas naquela série de degraus era que procuravam uma solução rápida para a inquietação que os afligia, algo que os fizesse parar de pensar ou simplesmente mudar o foco e por isso cada um tinha uma história na ponta da língua pronta para ser contada.
Histórias que passavam por fatos como ser agredido por um familiar, um trabalho que não satisfaz, o preconceito da sociedade, ser esnobado pelo amor da vida ou o simples vício.
O homem que distribuía as distrações já tinha mudado algumas vezes e agora estava cada vez mais difícil e caro obter a solução instantânea.
Agradeceu por seu salário ter aumentado proporcionalmente ao valor da distração e comprou ainda alguns para os membros da escadaria fazendo logo amigos de história que lhe mostraram como usufruir das novidades recentes obtendo o máximo delas.
Lembrou-se do dia em que simplesmente saiu pelas ruas quebrando alguns retrovisores de carro e quase foi preso, de quando transou com a garota no ônibus por pura vontade de revanche e de todas as loucuras que tinha feito... Riu e lembrou de como aqueles tinham sido tempos difíceis.
Dificuldades sempre existem, mas algumas realmente parecem maiores que outras e geram conseqüências maiores do que se pode imaginar.
Sempre pense antes de dizer ou agir, nunca demais ou de menos, por que isso pode influenciar a vida inteira de outra pessoa... Como a de cada um que freqüenta aqueles degraus.
Agora o dia já esta chegando e tenho que trabalhar...

video

Vídeo de divulgação do Matutando com trilha da música Pena da banda O Teatro Mágico.

A parte certa do que não se deve fazer














Num reduto da Boêmia carioca Raoni senta num bar com alguns amigos e pede uma quantidade de cerveja que é servida no local dentro de torres.
Não era exatamente uma torre, se parecia mais com um grande filtro de cerveja onde cada integrante da mesa girava e se servia da quantidade desejada.
Depois de algumas risadas e algumas ligações frustradas senta-se na mesa ao lado um grupo de quatro mulheres e pedem o mesmo que os rapazes que logo se interessam e pedem a Raoni que vá lá promover a interação entre os dois grupos.

-Vai lá cara
-Não sei, acho que estou meio enferrujado
-Como assim enferrujado?
-Estava com uma garota até... Sei lá, até as ligações que fiz ou não...
-Estava nada. Vai lá logo...

Fez uma piadinha sobre o modo certo de se colocar a cerveja sem que ela fizesse espuma e puxou assunto de uma forma clássica que ele gostava de fazer até que se sentou e pediu para que todos se juntassem.
O pedido foi atendido com receio, mas aceito pela boa conversa que Raoni tinha e divertiu a mesa visitante.
Depois de mais três horas duas das mulheres se mostravam tão interessadas que Raoni e um dos amigos saíram com ambas de carro em direção a um dos lugares mais bonitos da cidade, principalmente à noite, pois não teriam o sol sobre suas cabeças e sim a madrugada, a areia, o mar e algumas cervejas.

No lugar...

-Vocês moram aqui meninas?
-Sim, mais um pouco mais pra dentro e vocês.
-Não, não moramos exatamente aqui...
-Ahh entendemos, deve ser no próximo bairro né?
-Um pouco mais longe, mas esquece...

Dividiram-se em duplas, na famosa pedra que dava vista para boa parte da orla que vislumbravam, quando a mulher chegou perto de Raoni e disse que ia falar algo que ela não sabia por que, mas ia dizer para ele:

-Fale
-Estou aqui com você pensando em outra pessoa
- (Ele riu) Tem razão é estranho!
-Desculpe
-Não tem importância e acredite eu só penso em outra pessoa nessa noite também e não fiquei com mais ninguém desde que a conheci...
-Como ela é?
-Só saiba que ela é exatamente tudo o que eu queria agora na minha vida...
-Então vai atrás dela.
-Ela me disse que esta com alguém e que não vai ficar comigo.

Os dois contaram as suas respectivas histórias um para o outro e se deitaram até que o outro casal voltou e foram embora.
No carro rindo juntos o amigo de Raoni perguntou uma hora se ele tinha feito as mesmas coisas que ele na pedra:

-Acho que você foi bem mais ousado cara
-E desde quando você é conservador
-Eu acho que não sou, mas enfim foi uma noite longa
-A minha foi bem rapidinha por que passava gente algumas vezes

Os dois riram...

Era provável que a noite do amigo tivesse sido melhor (mais rápida... rs) e que a noite dos amigos que ficaram no bar também, mas nenhum deles conheceu a garota que morava perto do mar e era tão diferente em seu estilo de vida rico quanto era parecida com Raoni por estar com a cabeça em outra pessoa naquele exato momento.
Ficou melhor por não ser o único maluco a pensar assim no mundo... Um pouco melhor...

Eu não sou o único que gosta de alguém e...

Não esta aqui

No trabalho...

-O que esta acontecendo com você?
-Como assim?
-Você começou bem, mas desde a semana retrasada parece desmotivado
-Não, não é isso...
-Esse é ou não é o emprego que você sempre quis como me disse na entrevista?
-Claro que sim. É o emprego dos meus sonhos
-Então me mostre como fez no inicio. Ultimamente parece que sua cabeça não esta aqui...

Pain

No telefone...

-Se você quiser sair me liga até amanhã
-Onde nós vamos
-Já te disse que não me importo onde desde que você esteja comigo
-Ta, vou pensar...

10 min depois...

-Então
-Acabou
-Acabou o que?
-Nós dois acabou, não quero mais...

Pessoal x Profissional

No trabalho...

-Então...
-Então o que?
-Fez o trabalho que pedi?
-Que trabalho?
-¬¬

video


Edward Maya feat. Vika Jigulina - Stereo Love

Devastação

Devastação é a palavra.

Não acreditar mais nas pessoas é um problema e quando você sente isso na pele você se torna uma pessoa ruim.

Nicolas tinha parado de acreditar em tudo e todos.

Esta certo que o motivo daquilo tinha sido uma simples mulher, porém num contexto mais amplo ele tinha perdido muito mais... Tinha perdido a fé nas pessoas.
As coisas estavam horríveis: seu emprego era uma droga, a mulher que ele amava o deixou, seu pai só sabia extorquir dinheiro e ele realmente não sabia como ia ser...
Para qualquer lado que Nicolas olhasse as coisas não pareciam estar muito boas, mas algo aconteceu... Ele conheceu alguém que talvez pudesse fazer a diferença que ele esperava e perto dela as coisas simplesmente começaram a dar certo.
Conseguiu o emprego de seus sonhos capaz de lhe proporcionar uma vida confortável e estável dali pra frente, mas muito corrida. Fazer jornalismo e produzir informação em tempos como os de hoje é difícil e não te da muito tempo durante a semana para fazer outras coisas.
Sua fé num mundo melhor voltou. Nicolas parou de desprezar e voltou a ajudar como sempre fez acreditando no futuro e na verdade das pessoas até que veio a ligação.

-Estou com saudade
-Eu também
-Vamos sair?
-Não, vou sair com aquele cara
-Como assim? O que esta acontecendo?
-Isso não esta certo.

As coisas desabaram: Conseguiu se envolver na mesma situação anterior quando a pessoa que ele mais gostava lhe fez sentir coisas tão ruins que ele simplesmente passou a desacreditar.
Tinha feito planos para uma ótima vida... Talves ela fosse a mulher da sua vida...
Agora ele era Nicolas o homem com o emprego dos sonhos, um pai que continuava o extorquindo, ainda mais depois de saber do emprego novo, uma família que tinha poucos membros e menos ainda que lhe consideravam e principalmente Nicolas o homem que tinha voltado a desacreditar em tudo.
Durante uma tarde de pensamentos ele diz para si mesmo: Quem sabe agora você toma isso como algo permanente para sua vida.
Pior que se envolver em algo como isso uma vez é fazer isso duas vezes... Exatamente do mesmo jeito...
Nicolas pensou que já que naquela noite a pessoa que tinha o feito acreditar de novo estava se divertindo saindo ele deveria fazer o mesmo. Não com a pessoa que o fez acreditar na primeira e não com a pessoa que o fez acreditar na segunda, pois pra alguém fazê-lo acreditar agora seria impossível.

Ele estava desacreditado.