The Beatles - Something

Be happy

Entrei pela portaria e fui caminhando até minha sala.
Nunca fui bom em seguir aquele ditado de que se a tristeza tomou conta do seu coração não deixe que ela faça o mesmo com teu semblante.
Andava vendo o quanto tudo ali era uma grande fantasia.

Na verdade uma mentira

Cidades de mentira, gente que fingia ser quem não era, pessoas falsas e eu que estava sempre nas mesmas festas que elas e sorria cada vez que uma passava por mim.
O trabalho que me proporciona uma quantidade de dinheiro que eu não imaginaria ter alguns meses atrás é o mesmo que não me proporciona a felicidade que eu também imaginava estar sentindo.

O quanto você pode suportar?

Gosto de bebida, mulher, festas e principalmente gosto de ter como fazer isso sempre que eu quiser, mas por que isso não me satisfaz...
Continuo sentindo falta do que hoje me trouxe, acima de tudo, a certeza de que não tenho valor maior do que qualquer coisa em uma vida...
Algo mudou dentro de mim e confesso que não foi para melhor. Transformei algo completamente positivo em frustração.

Pura e simples frustração

Escondo tudo o que sinto confundindo todos com aquele nível de sociabilidade que só eu sei proporcionar.
Obrigo-me a tal fardo que não é fácil de carregar por que simplesmente não pretendo decepcionar quem esta ao meu redor... Não largo tudo, pois sei que não vou prejudicar só a mim.
Se eu soubesse no que ia dar não tinha alcançado um nível financeiro de importância tão grande para às pessoas que estão comigo.
Sofro de um grande mal que é me importar demais com todos.
Acho que sinto mais que todo o mundo.

Provavelmente gostaria mais de você que esta lendo esse texto do que você de mim...

Não sou três pontos, sou exclamação e aparentemente nunca ganhei muito mais que decepções com isso.
Tenho que parar de me importar tanto com o que sinto e mais com o que penso.
Não conheço muitas pessoas que se deram bem seguindo seus corações e a prova disso é que sempre que sigo meus conceitos e o que realmente penso não erro.

Você esta feliz?

Que bom que esta tudo bem, que bom que sua vida esta ótima, acho incrível que você esteja correndo atrás do que quer e tendo um emprego que lhe da condições suficiente para começar sua família... Sendo feliz e enfim... Vivendo.
Eu que estou exatamente onde deveria estar, fazendo exatamente o que eu queria fazer sinto falta de você, mas isso não tem importância alguma pra você...
Nunca teve...
E o pior de tudo é perceber que tudo o que senti chegou a um nível de frustração que agora, e depois de tudo, me importo com isso tanto quanto você.
A ponto de não estar presente no dia mais especial de quem você achava que te achava... Enfim...
É só mais um dia...
Só mais um dia...



Ultraleve - Rodoviária

Homem de Chapéu Preto

O homem do chapéu preto andava pela rua despretensiosamente.
Tinha o adorno na cabeça como objeto pelo qual as pessoas o identificavam e logo atraia olhares ávidos por sua maleta onde levava alguns livros para vender.
Trazia numa mão o recipiente com os livros e na outra um pequeno catalogo com os Best Sellers da semana a serem vendidos.
Gostava de conversar e discutir sobre os personagens do último livro vendido com cada cliente ganhando sempre sorrisos e olhares simpáticos e convidativos apesar da aparência estranha.
O homem de chapéu preto era alto, magro e de certa forma parecia mais um poste com pernas e um chapéu do que um homem.
Nem precisou bater a porta da primeira cliente, pois ela já o esperava ávida por uma boa prosa com o homem de chapéu preto.

-Olá
-Olá... Aguardava o senhor.
-Que bom. Gostou do último livro?
-Não sei dizer...
-Como assim?

A moça dizia-se cansada de contos de fadas com seus finais felizes e seus bons moços.

-Pode parecer estranho, mas canso dos bonzinhos
-Isso é normal minha cara
-Mas e o príncipe no cavalo branco? As mulheres não deveriam querer isso?


O homem do chapéu preto explicou-lhe que o ser humano deseja o melhor, o mais atencioso, aquele que faz tudo por você, porém de que lhe serve, com o tempo, alguém tão esforçado?
A emoção de perder a qualquer momento e a pouca mais intensa presença é mais atraente... Concordou a mulher.
Exato replicou o homem do chapéu preto.

-Será que gostarei mais desse?
-Sem duvida que sim. Me conte semana que vem.
-Ok


Os dois se abraçaram e a moça quase derruba o chapéu do homem que o segura com a destreza de quem utiliza o objeto a muito tempo.

-Desculpe quase derrubei seu chapéu
-Tudo bem. Até semana que vem.
-Até.


Andou até a calçada e olhou as casas que ainda iria visitar na rua. Todas tinham algum morador que o espreitava a espera de sua visita.
A fantasia parecia tão próxima dos clientes do homem de chapéu preto que as vezes isso o assustava.
Lembrou-se das palavras da moça da última casa: “A emoção de perder a qualquer momento e a pouca mais intensa presença é mais atraente...”
Quantos mais prefeririam a inconstância da dúvida à certeza do carinho?
Até onde o homem de chapéu preto sabia a maioria.
Que droga... Ele até era um desses...

Eu serei a hiena

Hoje a hiena riu de mim.
Lá estava ela com o pescoço levantado e seus dentes amarelos debochando da minha dor com sua cabeça balançante.
Pedi para que parasse, mas o vento continuava fazendo com que seu movimento frenético de ir e vir e seu sorriso (aquele maldito sorriso na cara) me tirassem do serio.
Sabia que eu tinha acabado de desistir de algo muito importante e ria de mim com um sorriso de orelha a orelha.
Não deveria ter pensado tão alto para que não me ouvisse.
Na verdade eu não sussurrei em pensamento, eu não falei... Eu gritei e esse foi meu erro.
Levantei e joguei bem alto da forma mais aguda que consegui e disse que dali em diante não iria mais me machucar.
Doía tanto que mal conseguia rir junto com minha companheira agoniante.
É impressionante como você pode ser algo insignificante para uma pessoa perto de outra.
A vida mostra que temos prioridades e devemos defini-las de acordo com o que sentimos e queremos não importando o que os outros sentem.
Porque devemos priorizar a nossa felicidade.
A risada ecoa em minha cabeça e a vontade é de levantar para esmagar aquela cabeça até que minha raiva sem sentido passe.
Realmente não tinha obrigação de nada e fui pretensioso demais em achar que por algum motivo eu teria importância com a que lhe dei a ponto de que largasse tudo para ficar comigo por um dia... Não importa.
Se a vida é organizada por prioridades é bom saber para quem você se tornou uma mesmo no meio de uma gargalhada tão desprezivel.
Esta me envenenando com a tosca visão de seu corpo pintado e sua risada bizarra.
Maldita risada com seus dentes amarelos!
Odeio quando ele balança a cabeça rindo de mim como que dizendo: Agora você sabe que não é muita coisa... E a quanto tempo será que já não era.
Maldita cabeça... Maldita risada... Odeio essa hiena!



Zander - Sunglasses

Nem por um instante

No telefone...

-Sabe quanto tempo faz que a gente não se vê?
-Não
-Um mês e meio
-Nossa, é muito tempo
-É, e você continua sem fazer uma forcinha
-Eu não podia
-Nem um pouquinho nos últimos fins de semana?
-Não podia o ... estava aqui
-Nem dez minutos?
-Já disse que o ... estava aqui
-Ae não da, nem por dez minutos, por que isso é muito mais importante né?

-Entendi. Boa noite... rs
-Boa noite

Sem ver

No telefone...

-A gente podia sair pra...
-Não posso sair com você
-Não pode?
-Não é que eu não possa, mas não é certo
-Fica tranqüila... Só quero te ver. Estou morrendo de sau...
-Não posso
-Agora não posso nem mais ver você? Nossa...
-Não me entenda mal
-Não entendi mal. A gente só não pode mais se ver né?
-Você dizendo parece horrível...
-Boa noite... Eu... Boa noite...
-Boa noite

O grande

Da sacada do meu prédio só vejo o sol se pondo numa daquelas tardes bem comuns.
As luzes das casas e prédios menores pareciam tão bucólicas que me faziam pensar em tudo o que me disse.
Palavras de sentido simples, mas que eram difíceis de assimilar e aceitar.
Arrumava as coisas em mochilas e malas quando minha companheira me aborda.

-Oi
-Oi
-Não vi você entrando... O que esta fazendo?
-Arrumando as coisas.
-Por quê?
-Vou embora

Discutimos.
Realmente não esperava que fosse ser tão difícil assim, mas ela blasfemava e dizia não entender já que teríamos pelo menos mais três meses ainda de contrato com o apartamento...

-E agora como eu fico?!
-Não se preocupe. Deixei a minha parte, dos próximos dois meses, paga
-Isso é muito! Como você conseguiu ... reais para pagar isso tudo?!
-Tinha umas economias
-Me diga a verdade: Por que esta indo?!

Vivíamos juntos a pouquíssimo tempo e só nos encontrávamos a noite, porém, ao que parece, ela começou a me entender melhor do que eu esperava após algumas madrugadas insones e muita conversa.
Entendia-me de um jeito impressionante.

-É a garota né?
-Que tem?
-Por isso você não pode ficar...

-Quero que fique
-Já falei pra ficar tranqüila. Deixei minha parte paga. Não deixaria você na mão e...
-Acho que gosto de você!
-O que?!

Agora entendo por que ela permanecia acordada conversando comigo e vendo coisas engraçadas na internet até altas horas mesmo estando com uma cara de sono que confesso invejava muito.
Ela não deveria ter dito isso...

-É exatamente isso. Não vai!
-Desculpa, você sabe o quão idiota eu sou e o que sinto
-Você voltou com ela?
-Não. Segundo ela nós nunca nem estivemos juntos
-Então?!
-Não posso ficar com você imaginando que estou com ela...
-Ahhhhhh
-Desculpe...

Ela vai pro quarto e me deixa só acabando de arrumar minhas coisas.
Logo que acabo vou até a sua porta que esta, como eu esperava, trancada.

-Estou indo

Ela abre a porta

-Por que você gosta tanto dela?
-Queria poder explicar, mas não posso...
-Não entendo como você gosta tanto de alguém a ponto de dar tanto dinheiro para sair daqui simplesmente para não ter lembranças...
-Eu também não
-Você sabe que é provável que ela nunca mais fique com você né?
-Sei sim
-Então?!
-Então tchau. A gente se fala amanhã no trabalho.
-Tchau.

Coloquei tudo no taxi e pedi para o motorista partir quando ela gritou e foi até o carro.

-Obrigado por, apesar de tudo, ter deixado tudo certo para os próximos meses
-Nunca deixaria você na mão
-Então... É isso... Tchau
-Tchau

O taxista sai com o carro e depois de 5 minutos em completo silêncio fala:

-Problemas com a patroa?
-Na verdade não. É uma história meio longa
-Ela parece gostar de você. Acho que entendi...
-Acredite nem eu me entendo