Coração de lata


Ainda fico encantado ao recordar.
Exuberante nos gestos mais sutis. A personificação de tudo o que sempre quis.
Era de aço, mas ali percebi residir minha porção de lata.
Perdi para o amor da vida.
Espantando tudo o que tentava me impregnar, aprendi a fundir os metais.
No mais profundo efervescer joguei tudo o que tinha.
Dos mais pesados aos mais leves. Sorriso, cheiro, felicidade, beijo... Estava tudo lá.
O tempo passou e a sensação mágica voltou.
Impedi a conclusão de tudo o que julguei como certo. Voltei a ser lata.
Nada poderia me impedir agora. Nem o meu fraco coração.
Anunciou-se. Teria feito eu a decisão errada mais uma vez?
Não!
Por menos nobre que fosse o metal que escolhi. Como podia estar tão errado?
Enferrujado e arranhado, ancorei todo meu metal numa escolha óbvia, mas não certa.
Ainda tinha cravado aquele nome profundamente em minhas engrenagens.
Mantive-me de pé e mesmo sem poder, sorri ao vê-la livre.
Pensei, duvidei, espantei e decidi. Não se pode continuar indo para um lado quando seu coração aponta para outro.
Foi difícil. Quase impossível, mas fiz.
Todas as minhas energias estavam apontadas para sua direção.
Mais uma vez.
Então veio minha maior decepção. A verdade não bastava.
Havia uma incredulidade absurda em seu olhar.
Ali não residia mais a pessoa que conheci.
Era só raiva e decepção. Não havia mais confiança, vontade ou cumplicidade.
Minha sinceridade e a verdade dos meus atos não importava, pois seus olhos só viam mentira.
Fui um canalha com quem não merecia. Voltei para tentar amenizar meu erro.
Esperava ser escorraçado.  
Tentar de volta algo que tinha acabado de jogar fora?
Mas ali encontrei justamente o que procurava.
Na verdade, mesmo após minha escolha, tudo o que sempre quis continuou ali.
Só eu não vi.
Ainda tenho os arranhões em minha parte lata.
Sei que jamais irão sumir. Mas aprendi a conviver com eles.

Por mais que ainda sinta doer o ranger das ferrugens aprendi a conviver com elas. 

Velhos novos tempos




Hoje perdi minha juventude.
O último suspiro do meu insistente vigor aprendiz. Logo ele, que insistia em se manter mesmo diante de tamanha adversidade.
Sou maduro demais para tudo, mas não para ela. Nela residia minha melhor parte.
Aquela que não se importa em sair sem guarda-chuva.
Que faz sorrir sem motivo.
Que espera sem inquietude.
Que desembaraça só de atinar sua simples presença.
Era uma época de sonhos. E em um dos mais incríveis a vi pela primeira vez.
Já visitei alguns dos lugares mais lindos nesse mundo e digo: poucas belezas se aproximam do momento em que ela joga o cabelo e sorri.
É nesse momento que eu mais me aproximo do jovem sonhador que já fui.
Foi parado naquele bar, olhando para ela com um copo de bebida na frente que percebi: aquela sem duvida era a melhor parte de mim.
Sendo-me concedido o domínio do tempo faria daqueles cinco segundos uma eternidade.
Mas não sou senhor dele, não sou senhor da minha juventude e acabei de perceber que perdi a melhor parte dela.
Não compreendo suas escolhas. Tento e não vejo sentido.
Não entendo nem mais a minha... 

Herói da esquina



A verdade é que tinha medo de admitir.
As provações e decepções se sucediam sempre que uma nova esperança acometia-se.
Ninguém sabia o quanto ele tinha esperado por aquele momento e mesmo assim tal segredo não ajudou.
O tempo estava passando.
A sensação de que a escolha por ele talvez simplesmente não fosse feita, parecia se tornar a cada palavra de amor mais viva.
“E se...”
Não se constroem histórias com prerrogativas para o que se sente.
E se os anos se forem?
E se um dia ela se questionar como poderia alguém ainda gostar mesmo depois de tanto tempo?
E se a resposta fosse que ele nunca deixaria de gostar.
Que era reconfortado com lembranças sempre que aquela música tocava.
Que seu cheiro ainda vivia em seu olfato. E era aguçado... Cada vez que alguém ousava apropriar-se do mesmo.
Que o tão criticado transporte público deveria ganhar uma nova definição depois de uma viagem ao seu lado.
Não era fácil ser ele.
Gostaria de dizer, mas não era justo. Não para consigo mesmo.
Mas se ela pudesse ouvir:
“Eu não sou corajoso o suficiente para me declarar
Mas saiba que nunca me senti tão bem quanto do seu lado
Quando tudo está ruim, desejo que esteja bem menos complicado para você
Sempre tive o sonho de poder fazer algo pelo mundo através do meu trabalho
Mas mesmo que eu fosse um super-herói não faria sentido voar sem tê-la ao meu lado
Você é tudo o que eu sempre quis
Em você acho que vive a melhor parte de mim”

Matutando (vídeo novo)

video


                                                        www.matutandorj.blogspot.com

Nunca quis

Deito na cama enquanto lembro das ofensas que direcionou a mim.
Esperneou, se exaltou, entristeceu-se por alguém que agora não fala. Decidiu se afastar e disse que está bem, se distanciou e confessou que caiu bem, afastou-me e decretou sua preferência.
E esse silêncio entre nós que insiste em se exaltar dentro de mim? Reprimido, tomado de assalto por saber que a mesma inquietude não a atinge.
Que é irrelevante o suficiente para tentar despertar com uma mensagem e curta o bastante para cair no esquecimento depois de um final de semana. Não para mim...
Não nego que imagino como seria...
Não nego que sinto falta...
Não nego que me escondo cada vez que a música toca...
As vozes em minha cabeça... Reprimo cada uma: Beije-a só mais uma vez, pegue só mais um taxi, beba só mais uma... À noite debaixo dos arcos nunca acaba.
Noite de 300 anos que gira sem parar e nunca acaba sendo revivida a cada sonho que tenho e banho que tomo em seguida.
A água percorre meu corpo e cai no chão junto com minha vivacidade, minha tenacidade meus sentimentos.
Sentado vendo escorrer peço: não agora... Nunca mais.
Não pedi mais que sua presença em minha vida. Obtive menos que sua ausência... Encontros raros que são tudo o que nunca quis.

"Eu gosto de outra pessoa"

Errado

Acordei um dia e vi que tudo estava errado.
Eu tinha um bom emprego, a minha namorada gostava de mim e minha família, com exceção de meu pai, me dava todo o apoio.

O que isso tem de errado? Tudo!

O emprego que me dá muito dinheiro é o mesmo que não me deixa satisfeito, com as injustiças e cafajestagens que ocorrem nos bastidores. Minha namorada é tão incrível comigo quanto eu sou falso com ela ao pensar em outra (que mesmo gostando de mim parou até de me ver para ficar com um alguém) cada vez que a beijo.

Então esqueça tudo isso e sei lá... FUJA!

Larguei tudo. Pedi demissão, deixei alguém que dizia estar apaixonada por mim e fui pra casa. Desmoronei toda a minha vida em uma semana e não sei mais o que vou fazer durante o resto dela.

Deus essa é a hora!

Tenho um dinheiro guardado (que seria usado para comprar uma casa futuramente) e estou pensando em mochilar. Tipo aqueles hippies em busca de paz interior sabe?

Que ridículo. Quantos anos você tem?

Percebi-me não sendo merecedor de um mínimo de apreço daquela que tem todo o meu. Acho que estrago nossa relação a cada dia mais do mesmo jeito que foi feito por ela no inicio.
Não consigo mais.
Todos os meus pensamentos me levam a só uma solução. No momento em que me sentei em frente a minha namorada e disse que o problema era muito mais meu.

Por favor alguém me salve!