Expressão

Luca era um bom descobridor de talentos sempre se autodefiniu assim.
Tinha agenciado alguns bons aspirantes a arte da pintura ao longo dos anos que lhe propiciaram uma vida relativamente estável.

Afinal de contas ele os tinha descoberto

Essa era a grande sacada que ninguém ainda tinha tido: Um agenciador de pintores.
Tinha descendência italiana, ou seja, havia arte nas veias dele.
Era da terra de Portinari e Michelangelo. Podia se gabar disso, mas ultimamente a maré não estava muito boa. Vinha sendo cobrado por algo novo, algo que fosse tão expressivo como o surrealismo e que também fosse tão popular como a pop art.

Seus artistas haviam se tornado óbvios


A crítica especializada e as pessoas que passavam pelas galerias não se surpreendiam mais com os seus recém descobertos e tudo parecia estar caminhando para uma decepcionante aposentadoria.
“Você não pode aceitar que termine assim” era o que ele dizia a si mesmo todos os dias.
Enfim resolveu tentar mais uma vez... Uma última tentativa para o precursor daquele nicho de mercado.
Saiu de são Paulo e viajou para o Rio em busca de algo novo.
Hospedou-se num Hotel e todo dia perambulava pela cidade na busca de algo que chama-se atenção vendo assim algumas coisas interessantes. Artistas de rua, pintores de fundo de quintal (com bons trabalhos) e hippies da Lapa com um considerável senso artístico, mas que não tinham nada de especial. faltava alguma coisa.

Algo que ele não sábia o que era...

No terceiro dia junto aos cariocas foi procurar um ambiente mais jovem e começou a rodar por Universidades e faculdades quando presenciou algo que o intrigou.
A garota sentada numa bancada tinha a primeira forma de arte que realmente o chamou atenção depois de muito tempo. Ela tinha nas unhas pinturas grafadas com esmalte milimetricamente feitas.
Saiu do carro.
Apresentou-se e como sempre causou aquele receio que só é sanado com a mostra do naipe dos artistas que já eram agenciados.

-Bom, eu acho que você esta falando a verdade.
-Claro que sim. Então, o que é isso que você desenhou nas unhas?
-Uma referencia ao clube de futebol para que torço.
-Os detalhes são impressionantes.
-Eu só não entendi como isso pode virar arte. Você é louco?
-Só faça o que eu disser.

Em três meses eles abriram a primeira exposição que foi altamente prestigiada, a partir da primeira semana, devido às críticas extremamente positivas.
Uma conceituada revista publicou um artigo que dizia: “É a definição perfeita de como o eu se expressa a partir de uma vida proletariadamente cotidiana que o sistema capitalista impôs as classes mais baixas de um país”.
Havia achado a sua artista.
Uma garota apaixonante, jovem e bonita que tinha tudo para se dar bem alavancando mais uma vez a sua carreira.
Quem diria que algo tão simples fosse se sobrepor aos renomados artistas que Luca tinha em seu leque de opções.
Pensou consigo mesmo: “... é Luca... às vezes a beleza mais apaixonante pode estar nos gestos mais simples como o cheiro de um cabelo, o sorriso de uma garota ou algumas simples figuras nas unhas”.

1 comentários:

Suéllem Nascimento | 4 de outubro de 2009 17:07

Luca?? Adoro essas denominações .... hauhauhauhau