Obsessões






Hoje me disseram que sou muito autocrítico.
Disseram que não cito minhas virtudes e sim os meus defeitos, que não exalto minhas glórias e sim as minhas derrotas, que não conto às mulheres que conquistei e sim a que não posso ter.
Realmente tenho essa conduta, mas não por querer me depreciar e sim por uma obsessão em ser bom em tudo que faço.
Isso foge do meu controle.
É difícil fazer algo e perceber que existem pessoas melhores.
Nunca às invejei, tenho convicção disso, mas não posso me vangloriar de algo onde sei que existem pessoas que fazem muito melhor.
Durante muito tempo fui obcecado pela musica. A minha guitarra era uma das coisas mais importantes em minha vida. Isso me deu o combustível que justificou o meu empenho e com o tempo uma considerável destreza no instrumento. Infelizmente esse sonho foi sendo minado por sucessivas saídas de bandas, que partiam de mim mesmo, até minha última empreitada em que eu depositei todas as minhas fichas e as perdi.
Consegui, incrivelmente, descobrir outra profissão que gosto e isso para mim já é um grande feito.
É claro que tudo tem um preço.
Acho que foi por isso que em troca desse sonho encontrei outro que já virou uma obsessão na minha vida.
Tudo tem um preço e a autocrítica elevada é uma forma de se proteger de determinadas coisas.
Privar-se da glória é uma forma pessoal de não ceder às tentações do comodismo.
No livro A Torre Negra, Stephen King conta a história de um pistoleiro chamado Roland e sua obsessão: A torre negra.
Eu tenho uma torre negra pra seguir, mas não passo por cima de ninguém, como o personagem de King faz, para atingir os meus objetivos.
Minha excessividade em autocríticar é uma tentativa de aperfeiçoamento próprio para atingir o meu objetivo e minha obsessão por ela é algo, que já tentei esquecer inutilmente.

2 comentários:

Paulo Oliveira | 1 de fevereiro de 2009 07:29

Essa parada lek, o negocio é ter um foco, vc msm me disse...
Abração.

Camilla Azuos | 1 de fevereiro de 2009 10:24

Aê gatinho.

não é pq sou fã do seu blog que vou ficar pelando seu saco, mas nem tem como eu discordar.
vc tá certo.
auto crítica (agora sem hífen) é algo extremamente difícil.
Normalmente as pessoas com esse dom, focam os defeitos pq é natural as pessoas humildes não se exltarem.
Fica parecendo egocentrismo ou algo do gênero.
Querido, estarei sempre te acompanhando!
beijinhos !