(In)consciência

Não sou uma pessoa comum.
Quando os punks disseram “Seja você mesmo” eles não pensaram em gente como eu.
Que tipo de pessoa tem tanta consciência que mesmo bêbada não consegue se divertir numa festa.
Que tipo de homem diz para a única mulher que já amou que, mesmo não sendo ele o escolhido, fica menos triste em saber que alguém a faz feliz.
Que cara consegue postar a maioria dos seus contos num blog, durante um ano inteiro, com a mesma personagem.
Por favor! Que louco é tão pouco volúvel?!
Quem em sã consciência dirige uma moto a mais de 200 km hoje?
Talvez a consciência individual seja tão inerente ao ser que só pode ser quebrada em raras tentativas que vão se tornando cada vez mais escassas devido à alta periodicidade.
Elevar o nível de inconsciência ao máximo parecia ser uma boa possibilidade, mas a tendência não vem sendo um agente facilitador.
Acho que só quem acha que ser você mesmo não basta mais entende.
Bom, pensando bem talvez nem esses...

0 comentários: