Bem mais simples














Fabiana era uma garota engraçada e tão parecida com Cezar que dava medo.
Não que os gostos fossem tão iguais, não que os lugares que freqüentassem fossem tão comuns e até os cursos que faziam, na mesma faculdade, eram diferentes, mas tinham algo que era maior do que isso. As idades eram parecidas e de alguma forma a falta do que fazer os unia.
Parecia ser simples.
Não havia chance de aquilo dar certo de uma forma mais duradoura, porém aquele parecia ser um bom jeito de passar o tempo enquanto nada acontecia.

Pode-se dizer que estudar na mesma instituição e morar na mesma cidade ajudou

Fabiana era mais criança nas atitudes, e o seu corpo adulto aparentava outra personalidade, enquanto Cezar era muito mais adulto e dono de si do que o seu corpo magro e suas últimas relações mostraram.
O evento numa famosa praia carioca mostrava-se como cenário perfeito para uma relação digamos mais aprofundada.
Cezar mentiu sobre o último forte acidente, que quase lhe tirou a vida, e a levou na motocicleta de um amigo.

-Você realmente nunca bateu?
-Claro que não. Sou um ótimo motorista.
-Tudo bem então, mas eu vou com o capacete bonito ali.
-Você manda...

Estacionou pagando uma fortuna ao homem do estacionamento e seguiu até o local na beira da praia.
Não segurou a mão de Fabiana, mas manteve-se perto o suficiente para mostrar que estava com ela para escapar de possíveis tentativas de engraçadinhos solteiros.

-As coisas aqui são bem caras
-Eles tinham que compensar a entrada de graça né?

Essa foi uma indireta do tipo: Se você não pagar as coisas hoje não vai ter nada garotão

-É verdade
-Mas pode deixar que hoje você é minha convidada
-Não vou deixar você fazer isso
-Eu faço questão

Não é a toa que meus amigos pagam putas... Você só corta a parte chata da conversa...

Apesar do evento não ter terminado exatamente como as pessoas no local queriam Cezar se mostrou uma boa companhia e conseguiu segurar o ímpeto “jogando” do jeito certo com Fabiana.
Enquanto voltavam para casa, já de noite, parou num ponto bonito do local próximo aos arcos e tirou uma foto antes de seguir...

-Você é mil vezes mais maluco do que eu imaginava
-Por que?
-Por que?! No estacionamento!
-Você não quis pegar o ônibus...
-(Risos) Maluco...
-É melhor ser um maluco e aproveitar do que ser um idiota e respeitar
-O que?
-Brincadeira... Vamos?

"...Me conte o que eu deveria fazer
com todos estes sentimentos partidos sobre você
Por que eu não sei
E me diga como eu deveria me sentir
Quando todos estes pesadelos se tornam reais
Por que eu não sei
E eu não acho que você vê
Os lugares dentro de mim que eu encontrei..."

Rise Against - Roadside (tradução)

0 comentários: