Aquelas três ou quatro palavras...




É impressionante como no carnaval tudo é mais intenso.
Sentimentos, brigas, relacionamentos, alegrias, tristezas e qualquer tipo de acontecimento que seja passível de ser levado de um mundo imaginário para a realidade.
Tudo bem, talvez não seja assim com todo mundo.
Talvez eu esteja mais uma vez sendo levado pelo meu romantismo idiota.
Mas isso não faz diferença, afinal de contas esse é o meu blog.
Há um sentimento torpe no ar, algo que faz com que todos pareçam estar, elegantemente, com pelo menos, alguns pontos acima do seu nível etílico normal.
Brigas se transformam em batalhas épicas, garotas são assediadas das formas mais explicitas possíveis e seus companheiros, mesmo sendo simples amigos, são obrigados a protegerem-nas das constantes investidas de caras que, às vezes, tem o dobro do seu tamanho.
Um olhar que num dia normal, no centro do Rio, diria “sai da minha frente que eu quero passar” se transforma num “acho que ela esta me dando mole” num bloco de carnaval no mesmo lugar.
Algumas situações que seriam bizarras em qualquer outra semana do ano se tornam usualmente comuns no carnaval. Homens saem às ruas “fantasiados” de mulher com vestidos, tops e saias enquanto as verdadeiras donas das roupas andam com uma pré-disposição a ficar com alguém que me impressiona.

Podia ser assim durante todo o ano. (Me refiro a pré-disposição das mulheres é claro)

Sempre me espanto com a facilidade, que alguns caras tem, em ficar com uma porrada de garotas numa única festa. Gostaria muito de saber o que eles dizem naquelas três ou quatro “palavras mágicas” proferidas no ouvido delas antes de beijá-las numa festividade.
Sempre levei algum tempo apara conquistá-las. Não por falta de pericia, eu acho, mas por ter um estilo definitivamente menos agressivo e mais sugerido. Confesso que devo ter perdido algumas oportunidades por isso.

Idiota!

3 comentários:

Camilla Azuos | 27 de fevereiro de 2009 20:04

Olha.. se eu te contar oq passei nesse carnaval cê n acredita!
Enfim..
Carnaval é essa porcaria (p nao dizer outra coisa) mesmo..
Em relação ao q vc escreveu no meu blog:

no meu caso, melhor deixar ir de acordo com a correnteza... O medo não me deixa remar!

Felipe Attie | 2 de março de 2009 07:08

Tudo em exagero é melhor! E "exagero" é ingrediente que nunca falta no carnaval.

Victor Borba | 4 de março de 2009 07:09

"A estrada do excesso leva ao palácio da sabedoria" - William Blake.

Alguns poetas iriam adorar o nosso carnaval.